A verdade é relativa?

O indivíduo do mundo onde vivemos é adepto a toda e qualquer tipo de influência que ele julga ser positiva. Orar a Deus, fazer uma fezinha na loto, tomar uma passe no centro, meditar em direção a uma paz de espírito, pedir ajuda aos antepassados, e fazer trabalhos espirituais para obtenção de sucesso não são mais coisas antagônicas. É normal hoje em dia encontrarmos um sincretismo religioso onde não importa o que seja ou o que faça, se a intenção é me fazer bem, então está valendo. Esse pensamento está muito vinculado a uma filosofia antiga chamada “hedonismo”, onde a busca pelo prazer é razão da existência.

Mas como isto está ligado ao relativismo? Tudo. A verdade é relativa dependendo de onde está partindo o meu pressuposto sobre o que é a verdade. Nossa sociedade está mergulhada em ideologias que distorcem o conceito da verdade. Há algum tempo eu estava conversando com uma colega cristã, formada em psicologia, sobre a relativização da verdade e, pelo fato de eu saber de sua fé, esperei dela conceitos sobre verdades bem resolvidos, mas essa não foi a realidade. Dúvidas e questionamentos pairavam sobre sua cabeça, fazendo com que ela em muitos momentos jogasse fora deduções de sua fé para a defesa do relativismo, mas, ao mesmo tempo, este relativismo não poderia ser absoluto sem abrir mão de sua fé.

A bíblia em João 8.32 diz: “E conhecereis a verdade e a verdade voz libertará”, obviamente o texto está falando sobre Jesus, Ele mesmo se intitula a própria verdade: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”. Isso nos mostra a existência de uma verdade absoluta, Jesus é a verdade absoluta e ele nos deixou um conjunto de normas e privilégios para seguirmos.

Quando partimos de posições bíblicas, não existe relativismo. Um ateu pode, sim, viver uma vida baseada na relatividade da ética e dos padrões, mas o cristão não. A ética do cristão não pode estar baseada na situação em que o indivíduo está inserido, a nossa ética tem que estar baseada na verdade, a bíblia, inspirada por Jesus que é suficiente para cura da alma.

Se vacilamos em dizer sobre a nossa necessidade de estarmos em comunhão com a igreja, 1ª João diz: “se porém andarmos na luz, como Ele está na luz, temos comunhão uns com ou outros”. Sendo assim, possuímos a necessidade de estarmos em comunhão com outros irmãos, e é assim para com tudo que diz respeito a ética, a espiritualidade, a sociedade, ao modo de viver.

A verdade é relativa? Para o cristão não. Convido você para viver a certeza e a segurança de se deleitar na palavra de Deus como o parâmetro da verdade em sua vida. Estude a Palavra.

Tiago Vercelino é ministro de Educação Cristã, pastor de adolescentes e QA’s na IBBR.
Escreve para o blog toda quarta-feira.

A opinião expressa neste blog é responsabilidade do autor.