A necessidade de saber interpretar a bíblia

B. B. Warfield disse: “A bíblia é a Palavra de Deus de tal maneira que, quando a bíblia fala, Deus fala.” Esta afirmação de Warfield nos remete a tamanha importância que devemos dar às Sagradas Escrituras.

Semanalmente em nossas igrejas somos desafiados a ter uma vida de leitura diária de nossas bíblias, momento muito importante, tendo em vista a correria do dia-a-dia. Mas será que podemos basear a nossa fé e vida cristã simplesmente nessa leitura corriqueira? Quais são os perigos de uma leitura irresponsável da bíblia? Somos totalmente nutridos daquilo que precisamos diariamente?

Em Oséias 6.3 somos convocados a conhecer a Deus e buscar conhecê-lo cada vez mais. Paulo exorta Timóteo a permanecer e se empenhar naquilo que ele tinha como Palavra de Deus (2Tm 3.15). Esdras tinha a boa mão de Deus sobre ele, pois se dedicava no estudo, prática e ensino da lei (Es 7.10). O conselho de Deus para Josué no momento de assumir o povo foi para que meditasse na lei de dia e de noite.

São inúmeros os momentos que indicam a necessidade do cristão na dedicação saudável à leitura bíblica. Lemos e nos dedicamos tanto na hora de assinar um contrato, defender uma ação judicial, interpretar um texto para uma prova. A. W. Tozer disse que “o tamanho da noção que você tem de Deus necessariamente determinará sua qualidade de vida”.

Certa vez um professor comparou um leitor comum da bíblia como uma pessoa que adora ver filmes, mas infelizmente os assiste todos em preto e branco, porém aquele que se dedica na leitura, estudo e interpretação correta da bíblia é semelhante a primeira pessoa que adora ver filmes mas assiste os mesmos filmes em colorido com uma imagem full HD. Perdemos o melhor de Deus para as nossas vidas ao fazer uma leitura irresponsável e irreverente da Palavra, deixamos de aproveitar a vida em “full HD” que Deus tem para cada um de nós.

Tendo em vista essa realidade, quero propor três motivos pelos quais devemos interpretar a bíblia com atenção.
1. É essencial para a compreensão e para o ensino correto da bíblia. Se não interpretarmos corretamente a bíblia poderemos ser facilmente enganados por falsos mestres. Podemos também ensinar pessoas algo errado ou prometer algo a alguém que a bíblia não promete, um exemplo disso é ensinar que Colossenses 1.15 onde diz que Cristo “é o primogênito da Criação” está ensinando que Ele foi criado, quando na verdade o texto ensina que Jesus é o Herdeiro, assim como se acontece em uma herança familiar.

2. A interpretação da bíblia é uma etapa essencial que sucede à observação. Muitos de nós em nossas leituras temos a mania de observar o conteúdo bíblico e transmiti-lo sem antes verificar o que ele realmente está dizendo. A observação nos leva a descobrir, interpretar nos leva a digerir. Aprender sem refletir nos levará a conclusões absurdas a respeito dos ensinamentos de Deus. 2 Timóteo 2.15 nos mostra que não devemos somente conhecer o texto, mas sim manejá-lo bem.

3. A interpretação da bíblia é essencial para a sua aplicação correta. João 5.39-40 relata Jesus exortando os fariseus em relação ao estudo minucioso que eles tinham da lei, porém não entendiam nada já que não sabiam aplicá-la corretamente. Ler a Bíblia e aplicá-la de maneira errada significa que na verdade não se aprendeu nada a respeito do que leu. Jesus nos convida, a partir do estudo da bíblia, a ter uma vida plena de satisfação. Qualquer coisa diferente disso provem de má interpretação.

O desafio não é ser um conhecedor da bíblia, mas sim um bom interprete, fugir do farisaísmo em direção a uma vida cristã prospera e saudável. Se um dia perguntarem a você “entendes o que lês?”, a mesma coisa que Felipe perguntou para o eunuco em Atos 8, qual será a sua resposta? Espero que a sua resposta seja: sim!

Tiago Vercelino é ministro de Educação Cristã, pastor de adolescentes e QA’s na IBBR.
Escreve para o blog toda quarta-feira.

A opinião expressa neste blog é responsabilidade do autor.