A diferença entre uma criança e um adulto

Uma característica marcante na instabilidade espiritual começa com indisposição em aprender. Normalmente nos achamos muito prontos para a vida cristã e nos esquecemos que viver o evangelho de Cristo é uma constante que não termina. Devemos fugir da soberba de pensarmos que de alguma forma podemos viver uma vida sem a busca de conhecimento adequado da palavra.

Quanto a isso, temos muito que dizer, coisas difíceis de explicar, porque vocês se tornaram lentos para aprender. De fato, embora a esta altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princípios elementares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido! Quem se alimenta de leite ainda é criança, e não tem experiência no ensino da justiça. Mas o alimento sólido é para adultos, os quais, pelo exercício constante, tornaram-se aptos para discernir tanto o bem quanto o mal.  – Hebreus 5.11-14

Esse texto nos ilustra muito bem a realidade destacada a cima. O autor de Hebreus usa a expressão “lentos para aprender”, que significa literalmente ser preguiçoso, descuidado. A perda de interesse para com a necessidade de estudar a palavra ou se firmar em um crescimento continuo caracteriza uma falta de maturidade cristã. O texto continua falando que na verdade os hebreus já deviam ser mestres mostrando que não eram novos convertidos, mas ainda sim insistiam somente na absorção dos princípios elementares da palavra de Deus.

Essa percepção nos leva a refletir nossa condição como “maduros na fé”. Muitas vezes temos concepções e conceitos que nos dão o status de maduros e experientes, mas a falta de empenho e preguiça espiritual nos leva a sermos comparados a crianças. Crianças que se alimentam de leite espiritual, que discutem ideologias cristãs, mas se baseiam na informação de pastores e denominações, exercitando uma fé burra, baseada na opinião dos outros e não em um estudo direto e da palavra de Deus.

Portanto digamos não a instabilidade espiritual, não sejamos inexperientes na palavra, e não nos conformamos com a infantilidade cristã, mas busquemos ser adultos no que diz respeito a maneira como nos alimentamos da palavra de Deus. Buscar o alimento sólido que vem das Sagradas Escrituras, do sincero exercício de uma leitura, observação e interpretação saudável da bíblia, afim de sermos verdadeiros mestres da justiça da Deus, discernindo o bem do mal, sendo luz para o mundo para que não caiamos (Hb 6.4) e desonremos publicamente a Jesus (Hb 6.6) o alvo primordial de nossa fé e dedicação.

 

Tiago Vercelino é ministro de Educação Cristã, pastor de adolescentes e QA’s na IBBR.
Escreve para o blog toda quarta-feira.

A opinião expressa neste blog é responsabilidade do autor.