Servir nossa geração

Servir nossa geração

Nossa tarefa como discípulos amadurecidos não é julgar e, sim, servir as pessoas.

Sinônimo de servir pessoas. Nossa tarefa como discípulos amadurecidos não é julgar e, sim, lavar os pés.

O mais alto dentro do Reino de Deus é o servo. Caminhar na direção de Cristo é saber que Ele nos levará para a bacia e para a toalha. Em filipenses 2, o apóstolo Paulo nos convida a ter a mesma atitude de Cristo, que se esvaziou e tomou a forma de servo.

Maturidade dentro da IBBR não é apenas adorar a Deus, mas também estar suficientemente esvaziado de seus objetivos individualistas para viver para os outros.

A Igreja existe por uma razão bem específica. A igreja existe para marcar o seu tempo, ser sal e luz (Mateus 5:13-14), no sentido que a luz se percebe a distância e o sal nos toca por dentro.

Seu papel no mundo é, justamente, a transformação da sociedade em que está inserida, proclamando ali o Reino de Deus e o seu amor.

Servir aqui é mostrar que a Igreja está neste mundo não para ser Serva desta geração, mas para dizer ao mundo como este deve andar. Servir nossa geração é completamente distinto de moldar-se segundo nossa geração. Dia a dia nossa sociedade tem demonstrado a necessidade de receber parâmetros vivos, não apenas falados, mas realizados na vida da coletividade. Por isso, a Igreja é convidada a tomar esse papel e, assim, fazer do mundo um lugar melhor.

A capacidade de se doar, de servir a quem não merece é um sinal de maturidade cristã. Jesus foi enfático e claro nesse quesito ao dizer, Mateus 5: 44 a 46: “Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem, para que vocês venham a ser filhos de seu Pai que está nos céus. Porque ele faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos. Se vocês amarem aqueles que os amam, que recompensa receberão? Até os publicanos fazem isso! E se vocês saudarem apenas os seus irmãos, o que estarão fazendo de mais? Até os pagãos fazem isso!

Servimos a quem não merece, porque, do mesmo modo, não merecemos a Salvação alcançada na cruz, mas Deus, mesmo assim, Deus nos amou primeiro e retribuímos esse amor servindo à nossa geração.